Alongamento Antes E Após O Exercício: Devo Ou Não Fazer?

Atualizado: Ago 28

Atletas e praticantes de atividades físicas são frequentemente encorajados a realizar alongamentos antes e após uma sessão de treino, pois acredita-se que pode prevenir lesões, acelerar o processo de recuperação e aumentar o fluxo sanguíneo local auxiliando na remoção de resíduos produzidos durante a atividade física.


Conceitualmente, o alongamento se caracteriza em aplicar uma força sobre as estruturas musculotendinosas aumentando o seu comprimento, geralmente para fins de melhoras na amplitude de movimento e diminuição da rigidez ou dor muscular.


O termo “recuperação-adaptação” é usado na literatura como forma de caracterizar que essa prática não tem apenas o objetivo de retornar a um estágio que foi perdido durante o exercício, mas também de melhorar sua função fisiológica. Por fim, nós devemos ou não alongar antes e/ou após o exercício?


Quando observamos os dados científicos do estudo realizado por De Vries (1961), nota-se que o alongamento após o exercício era realizado no intuito de reduzir a dor muscular de início tardio (termo do inglês: delayed onset muscle soreness - DOMS) e rigidez muscular. No entanto, estudos mais recentes mostram que quando utilizado antes ou após exercício físico, o alongamento não tem qualquer efeito em diminuir a dor muscular, nem muito menos a função de aumentar o fluxo sanguíneo, pelo contrário, dados mostram que o fluxo é reduzido com o alongamento.


Em suma, parece que usar o alongamento como forma de prevenir ou diminuir a dor muscular após o exercício não se sustenta. Procure a orientação de um profissional de educação física e ele saberá te conduzir para as melhores técnicas visando melhorar a performance, prevenir lesões e melhorar os desconfortos associados com a prática de exercícios físicos no momento pós-treino (por exemplo, a dor muscular).


Gosto da matéria? Compartilhe com os amigos e não deixe de conhecer a nossa loja virtual Max Detox.




Referências Bibliográficas DE VRIES, H. A. Electromyographic observations of the effects of static stretching upon muscular distress. The Research Quarterly, v. 32, p. 468-479, 1961. MIKA, A. Comparison of recovery strategies on muscle performance after fatiguing exercise. American Journal of Physical Medicine and Rehabilitation / Association of Academic Physiatrists, v. 86, n. 6, p. 474-481, 2007. WESSEL, J.; WAN, A. Effect of stretching on the intensity of delayed-onset muscle soreness. Clinical Journal of Sports Medicine, v. 4, p. 83-84, 1994.


Texto produzido pela equipe Max Detox.


#maxdetox #emagrecimento #saudenaquarentena



Não comercializamos o Max Detox no Mercado Livre.

A venda do produto original só pode ser realizada através deste SITE OFICIAL e não nos responsabilizamos por compras realizadas em outros sites.

Evite falsificações e riscos a sua saúde.

13 visualizações

MAX DETOX

R. Capitão Afonso Junqueira, 165 - Sala 22
Centro - CEP: 37.701-042
Poços de Caldas / MG - Brasil

Atendimento ao Cliente:

sac@maxdetox.com.br

(11) 95866-8053

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca ícone do YouTube

© 2020 Max Detox Brasil